Abusos absurdos em pinheirinho! Comando da PM nega acusação de abuso sexual na desocupação do Pinheirinho

Todo mundo sabe bem o que acontece em guerras: Violação das mulheres, carnificina e destruição. Pois este é o cenário do pinheirio… leiam reportagem abaixo sobre acusções sobre violencia sexual nesta guerra vergonhosa, estado contra o povo e a favor da propriedade privada…
Comando da PM nega acusação de abuso sexual na desocupação do Pinheirinho
Guilherme Balza
Do UOL, em São Paulo

O comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo, coronel Álvaro Camilo, negou nesta sexta-feira (3) as acusações de abuso sexual contra moradores da área do Pinheirinho, em São José dos Campos.

A área foi desocupada no dia 22 de janeiro, dia em que teriam ocorrido os abusos, segundo relato feito por uma moradora ao Ministério Público Estadual.

egundo o comandante, no entanto, as duas mulheres que fizeram as acusações seriam namoradas de homens que foram presos em uma ocorrência relacionada a tráfico de drogas. E as prisões teriam ocorrido na madrugada do dia 23, fora do Pinheirinho.

“É uma ocorrência de tráfico de drogas que não aconteceu no Pinheirinho. Era uma ação de policiamento normal, no Campo dos Alemães [bairro vizinho à comunidade] em que uma viatura estava passando e viu que quatro rapazes fugiram e entraram em uma casa. Eles foram pegos com drogas: dois quilos de maconha, 300 gramas de cocaína e uma arma de calibre 12”, explicou.

Reintegração de posse em São José dos Campos (SP)

Foto 38 de 183 – 22.jan.2012 – Policial retira moradora com filho no bairro Pinheirinho, em São José dos Campos, interior de São Paulo. Diversas ruas da região estão isoladas. A polícia usa bombas para conter os moradores da ocupação Mais Roosevelt Cassio/Reuters

Segundo o comandante, os envolvidos serão submetidos a exame de corpo de delito e os policiais também devem ser submetidos a exames toxicológicos. “Tudo será rigorosamente apurado”.

O coronel disse ainda que a PM “vem sendo alvo de acusações mentirosas sobre fatos que supostamente teriam acontecido no Pinheirinho.” “Foi provado que não era verdade”.

03/02/2012 – 17h24

Moradora relata abuso sexual de PM na desocupação do Pinheirinho

Publicidade

ANDRÉ CARAMANTE
DE SÃO PAULO

Atualizado às 22h35.

Um grupo de policiais militares é investigado sob suspeita de ter cometido uma série de abusos contra moradores da área do Pinheirinho, em São José dos Campos (97 km de SP).

Veja imagens da reintegração no Pinheirinho
Homem é agredido por PM após reintegração
Prefeitura registra queixa contra manifestantes do Pinheirinho
Líder do MST ataca Judiciário sobre decisões de reintegração
Sem-teto fazem protesto em Brasília contra ação no Pinheirinho
Polícia apreende armas de GCMs em investigação no Pinheirinho

Uma moradora afirmou ao Ministério Público Estadual que, durante a desocupação da área, em 22 de janeiro, um PM a obrigou a fazer sexo oral nele e também teve seu corpo tocado pelo militar.

O depoimento foi prestado ao promotor João Marcos Costa de Paiva e acompanhado pelo senador Eduardo Suplicy (PT), no dia 1º.

Há também relatos de que PMs comeram mantimentos de moradores do Pinheirinho durante a desocupação, que um dos militares chegou a ameaçar abusar sexualmente de um jovem que vivia no lugar, e que dinheiro dos moradores foi roubado.

Os moradores afirmam ainda que policiais consumiram cocaína em um veículo oficial e que levaram a droga para dentro da casa de uma família.

OUTRO LADO

Para o comandante-geral da PM, Álvaro Batista Camilo, as acusações feitas contra os policiais fazem parte de uma campanha para “difamar” a operação da polícia durante a reintegração de posse do Pinheirinho.

“Nós somos uma instituição séria e um dos nossos três pilares é o respeito aos direitos humanos. Não compactuamos com abusos e não há espaço para maus policiais”, disse o comandante-geral.

Segundo Camilo, na quinta-feira, ele conversou com o senador Eduardo Suplicy sobre as acusações e esclareceu que a Corregedoria da corporação irá investigar de maneira rigorosa o caso.

Veja a íntegra do depoimento dos moradores do Pinheirinho:

Reprodução

Deixe um comentário

Arquivado em direito a uma moradia digna, POBREZA E DESIGUALDADE, Violência e preconceito, violência policial

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s