Samira, por Nicola Mai

Definitivamente a proposta etnográfica mais interessante que vi nos últimos temos.

Nela papéis convencionais de objeto de estudo e pesquisador se confundem trazendo ao público as emoções e dilemas da migração e prostituição na noite de Marsel, França.

Tive a oportunidade de assistir ao filme inteiro no III European Congress of Geographies of Sexualities, 15 de setembro em Roma. Muito inspirador.

Abaixo um resumo:

SAMIRA
Samira is a 28 minutes two-screen art-science installation presenting an ethnographic account of the life history of Karim, an Algerian migrant man selling sex as a travesti at night in Marseille. Karim left Algeria as a young man as his breasts started developing as a result of taking hormones. He was granted asylum in France as a transgender woman, Samira. Twenty years later, as his father is dying and he is about to become the head of the family Samira surgically removes her breasts and marries a woman in order to get a new passport allowing him to return to Algeria to assume his new role.

Deixe um comentário

Arquivado em Migração e Prostituição

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s